Dirigente do Sindiperícias defende direitos dos servidores do IGP em programa de rádio

A diretora do Sindiperícias, Adriana Nunes Wolffenbüttel, esteve na tarde desta quinta-feira, dia 05 de outubro, no programa Plenária, da rádio digital WNews, debatendo os problemas enfrentados pelos servidores do Instituto Geral de Perícias (IGP). Entre os assuntos levantados pela dirigente, estão a trajetória do sindicato na defesa da categoria, a falta de reajuste salarial vivenciada pelo IGP desde 2014, os atrasos no pagamento do funcionalismo gaúcho e as precárias condições materiais de trabalho da perícia.

“Trabalhamos numa área muito sofrida para o servidor. Para a população, passar por uma situação de crime ou acidente é uma eventualidade que acontece às vezes, mas para os servidores da perícia o crime e a morte são  situações cotidianas, com a qual convivemos o tempo todo”, relatou Adriana, lembrando o quão desgastante é o trabalho realizado pelos servidores do IGP, decisivo para que investigações criminais sejam resolvidas. Para ela, a falta de investimentos na categoria, como a realização de mais concursos para reposição do quadro funcional, hoje defasado, prejudica especialmente a população, que deixa de acessar serviços com mais rapidez.

Ao contextualizar o momento de descaso do governo Sartori com o funcionalismo gaúcho, a dirigente argumentou que o quadro é ainda mais difícil para os servidores da perícia, que lidam diretamente com a morte, acidentes e crimes. “Esse é um servidor que precisa de cuidados por parte do governo”, disse. Adriana destacou ainda que o Sindiperícias é o representante oficial da categoria, detentor da Carta Sindical que cede à entidade o direito de ser o canal de representação e comunicação entre os servidores, o governo e a sociedade.