Instituto Geral de Perícias parou contra o parcelamento de salários

A paralisação contra o parcelamento dos salários, convocada pelo Bloco da Segurança, foi um grande sucesso em todo o estado. Os trabalhadores do Instituto Geral de Perícias tiveram uma importante participação no movimento. Convocados pelo Sindiperícias, em conjunto com as Associações, os servidores se mobilizaram desde cedo. Concentrados em frente ao Departamento, os trabalhadores mostraram para a população toda sua indignação com o parcelamento dos salários e o desmonte que vem sofrendo o IGP.

paralisa2Após o sucesso da paralisação, os trabalhadores do IGP vão continuar a Operação padrão até a integralização dos salários. O Sindiperícias está convocando toda a categoria para a Operação Padrão.

Veja abaixo as orientações do Sindicato:

O SINDIPERÍCIAS-RS, Sindicato dos Servidores do Instituto-Geral de Pericias do Rio Grande do Sul, com Registro Sindical no MTE, de acordo com as normas estatutárias e conforme deliberado em assembleia geral da categoria, tendo em vista o inconstitucional parcelamento dos vencimentos dos servidores do Instituto-Geral de Perícias do Estado do Rio Grande do Sul (IGP/RS) e o descumprimento pelo Governo do Estado, por determinação do Governador Ivo Sartori, da decisão judicial emitida pelos Desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul (TJ/RS) proibindo o parcelamento dos vencimentos, vem legitimamente orientar os servidores do Instituto-Geral de Perícias a observar o que segue:

1. Que não serão registrados no sistema on line e tradicional, procedimentos administrativos de divulgação de trabalhos periciais dos departamentos, até a integralização dos vencimentos do mês;

2. Que devido a não possibilidade de pagamento do custo de deslocamento do servidor ao local de trabalho, bem como o custo de sua alimentação durante o intervalo do expediente, o servidor não comparecerá ao serviço, devendo comunicar através do email funcional a sua chefia imediata, para que esta fique ciente desta legítima impossibilidade. O servidor estará a disposição para comparecer ao local de trabalho, caso o carro oficial do Estado busca-lo em sua residência. Entenda-se por “não possibilidade de pagamento”, o valor em dinheiro, sem o uso de empréstimo ou cheque especial;

3. Que o atendimento dos agendamentos só serão realizados, se o deslocamento for realizado em viaturas com documentação e com todos itens exigidos por lei em condições e presentes nas viaturas. O servidor deve registrar a falta destes itens;

4. Que não serão realizadas viagens sem o pagamento antecipado das diárias, conforme dispõe a Lei complementar n.º10530/1995, Art. 97°;

5. Que os locais de crime contra a vida somente serão realizados com a presença da Autoridade Policial no local da ocorrência, conforme determina o Art. 6º do Código de Processo Penal;

6. Que somente deverão ser atendidos casos de urgência e emergência cabendo ao servidor a avaliação prévia de tais situações;